SOBRE FONTES

Um dos itens mais importante na estação, aquele que alimenta o nosso radio de as vezes milhares de dólares.. Precisa ser de ótima qualidade.

Avaliar uma fonte… como qualquer outro equipamento não basta ter a sorte de tê-la funcionando a X anos sem problema. Ou a recomendação de um ou outro colega. As vezes posso parecer um critico ferrenho, que nada presta etc…
Mas são vários itens que infelizmente os nossos fabricantes não cuidam, não sabem, outros que sabem acham que vão perder dinheiro se fizerem e até a perda de concorrência, porque afinal seu produto custará mais que o do outro….e ai entra a miséria nacional, a vontade de ter alguma coisa e acabamos comprando, mais pelo preço do que qualquer outro aspecto.
Eu gostaria que ainda existissem as revistas do ramo, como a eletrônica popular, que foi tão famosa no radioamadorismo dos anos 70/80 e que os fabricantes tivessem a coragem de submeter seus equipamentos a uma revisão  como é feito pela RSGB, QST etc… Assim a maioria teria acesso a informações que infelizmente não conhece.
O ideal, ao decidir pela compra de um acessório tão importante é ter o mínimo de conhecimento do que deve haver por dentro dele..
Claro que a cor, desenho, se tem “reloginhos” (nao aguento quando escuto isso) etc.. são itens importantes… Mas e o projeto? O material? E a montagem? É ai que mora o perigo.
Uma fonte tem os seguintes estágios importantes. Entrada de AC, Transformador, Retificador, Filtragem, Regulador, Transistores de passagem, Medidores, Crowbar ou OVP e Saida.

1 – Entrada de AC. O que se espera dela? Que tenha um cabo de boa qualidade, que tenha fusível de acesso externo de acordo com a corrente de consumo e com margem calculada. Que tenha varistor para segurar surtos de tensão, que tenha seleção de voltagem para atender nosso país onde encontramos 127 e 220 e um bom interruptor.

2 – Transformador…. ferro de boa qualidade, enrolamento idem, isolação, verniz, não vibrar, não esquentar e principalmente o PROJETO!! Vemos na maioria das fontes nacionais que a saida de baixa tensão é uma só. Retificam e mandam pra frente pra alimentar a saida e o regulador. ISSO ESTÁ ERRADO………….é economia porca..

Esse projeto de mandar 26, 29, 30 volts para o regulador e saida, faz com que os transistores de saida trabalhem muito mais desnecessariamente. (falo disso depois)

3- Filtragem. Outra coisa que a economia impera. Uma Astron usa 60 a 70 MIL microfarads enquanto encontramos por ai 5 mil, 10 mil nas nacionais.

4 – Regulador. A maioria usa o famoso “723” legal até ai. Mas o erro está no projeto e ligado ao assunto da tensão retificada que prometi voltar a ela depois. Outras mais porcas usam um 7812, um zener e mais uma “merreca” de peças que faça o favor..

5 – Transistores de passagem. Nesse ponto então, é onde mais vemos absurdos. Na escolha, na montagem, na quantidade, no resistor de equalização. Boas fontes usam 0,05 Ohms 5w. Aqui ja vi, 0,5…., 0,22…. o que tiver na mão né… o que acontece?? Aquecimento e corrente JOGADOS FORA.. Um excelente transistor é o 2N3771, mas tem por ai 2N3055 a dar com pau, o outro é mais caro né…
Já vi fontes que nao colocam o isolador no trt, pra que?? o dissipador é preto anodizado, nao conduz.. PUTZ economia porca.. Ja vi fontes com dissipador VIVO, com 30 volts.. imaginem isso encostando no seu radio..

6 – Medidores. Em nossas fontes isso é muito importante, ter a monitoração da Tensão é bom, mas a de corrente informa muita coisa em relação ao radio. Observando o consumo pode-se diagnosticar vários problemas e esse medidor precisa ser bom e confiável. Tem fonte por ai que usa ferro movel!! aqueles que levam dois dias para o ponteiro parar de mexer!! fala sério..

7 – O crow bar ou OVP .. a protenção de sobre tensão é indispensavel em nossas fontes. A queima de um dos trt´s de passagem pode levar a tensão de saida a 20, 25 ou 30 volts dependendo do projeto e isso DESTROI O RADIO….. portanto não pode deixar de ter e que seja o mais eficiente possível.

8 – Finalmente os bornes de saida, fiação proporcional a corrente para qual foi projetada. Sensor de corrente para curto etc,,

9 – Agora isso tudo precisa de um projeto de montagem que permita manutenção.

Que a troca de um componente não seja um calvário, que não se tenha que desmontar 80% da fonte pra trocar um CI ou um TRT.. Qee a fiação seja adequada, soldas, isolantes, parafusos etc…

10 – Como disse antes, a questão de que tensão usar na saida do trafo para retificar e aplicar aos saidas e ao regulador na maioria das vezes, ou não sabem ou nao ligam,  mais um economia porca dos fabricantes que jogam essas coisas nos peitos do consumidor. O regulador de tensão precisa de uma tensão mais alta, cerca de 29 volts pra ter MARGEM de regulação frente as variações de rede, já os transistores de saida, quanto mais alta for a tensão, mais eles trabalham, mais esquentam só pra reduzirem de 29 pra 13,8V. Assim, uma fonte bem projetada tem o secundário duplo, gerando uma tensão mais baixa para a saida com retificadores de alta corrente e uma mais alta num retificador separado de baixa corrente somente para o regulador. Isso sim é um projeto decente, confiável. Atendendo todas as necessidades de uma boa fonte que por sua vez carrega a responsabilidade de alimentar nossos radios de 1000, 2000, 3000 doláres… Pensem bem, procurem informações sobre que produtos vão utilizar nesses casos. É como comprar um carro zero e usar pneus carecas, remold etc..
Perguntem aos técnicos, peçam  informações sobre que fonte comprar, peçam ajuda a alguem do ramo. Não confie simplesmente em ouvir falar, ou experiências de usuários comuns.. Uma economia na compra da fonte pode resultar num prejuizo enorme no conserto do radio……
73

Clique aqui em caso de duvidas


Nossos Contatos

Ivan Silva
Rua Euzébio de Queiróz, 223
São Gonçalo – RJ 24410-160
Tels
55 21 26285769
55 21 27205188
55 21 993026328 Celular